Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de março de 2012

Estudos em Apocalipse - Aula 2

Antes de entrarmos no primeiro capítulo de Apocalipse precisamos entender alguns princípios que facilitarão o nosso entendimento. Antes, porém, precisamos conhecer uma visão panorâmica do livro por meio de um esboço. Existem diversas propostas para esquematizar o livro de Apocalipse. Algumas mais detalhadas outras mais simples. Dividiremos o livro em grandes blocos temáticos para facilitar a nossa memorização:

Esboço


  1. Introdução: (Ap 1:1-3)
  2. As cartas de João para as sete igrejas: (1:4 – 3:22)
  3. Uma descrição do trono celeste: (4:1 – 5:14)
  4. Os sete selos: (6:1 – 8:6)
  5. As sete trombetas: (8:7 – 11:19)
  6. Um parêntese nos acontecimentos, a besta, o falso profeta: (12:1 – 14:20)
  7. As sete taças com os flagelos: (15:1 – 16:21)
  8. A grande meretriz e a besta: (17:1 – 18:24)
  9. A volta de Cristo, o milênio; o juízo final; o novo reino: (19:1 – 22:5)
  10. Conclusão: (22:6-21) 


Grande parte da linguagem de Apocalipse é simbólica. Números, cores, bestas, estrelas, candeeiros, pedras preciosas e outros minerais são usados para representar pessoas, coisas ou verdades.

Felizmente, alguns desses símbolos são explicados de forma clara no próprio livro. As sete estrelas, por exemplo, são os anjos das sete igrejas (Ap 1:20); o grande dragão é o diabo (Ap 12:9). Indicações dos significados de outros símbolos podem ser encontradas em passagens anteriores da Bíblia. Os quatro seres viventes (Ap 4:6b) são quase idênticos aos quatro seres viventes de Ezequiel 1:5-14. Em Ezequiel 10:20, são identificados como querubins. O leopardo, o urso e o leão (Ap 13:2) trazem à memória Daniel 7, onde esses animais selvagens se referem aos impérios da Grécia, Pérsia e Babilônia, respectivamente. Outros símbolos não são explicados claramente nas Escrituras, e devemos usar de grande cautela ao procurar interpretá-los.

 

 

A Numerologia

A Bíblia usa muito o simbolismo numérico. O Apocalipse usa tal recurso de forma intensa, principalmente o número 7. São 7 igrejas, 7 candeeiros, 7 selos, 7 anjos, 7 trombetas, 7 taças, 7 espíritos, 7 estrelas, etc.

Em todas as culturas a numerologia está presente. Especialmente pela influência do matemático e filósofo Pitágoras, que viveu por volta de 550 a.C. Várias filosofias se desenvolveram sob a influência da numerologia, como é o caso da Cabala e muitas outras filosofias esotéricas e místicas que utilizam a gematria, que é o estudo do significado dos números. Muitas pessoas em várias nações se prendem aos números e os utilizam para tentar ler o futuro ou atribuir sorte ou azar. No Antigo Testamento os números são muito utilizados para representar ou simbolizar ações de Deus com a humanidade. Porém, não devemos nos apegar a isso de forma supersticiosa, pois foge do princípio ensinado por Jesus Cristo e os Apóstolos no Novo Testamento. A Bíblia em si, não afirma nem nega significados ocultos aos números, porém alguns significados são determinados pela engenhosidade daqueles que os interpretam. A nossa fé não pode está presa à numerologia e aos símbolos, pois todas essas coisas são sombras e figuras, como explica o apóstolo Paulo em Colossenses 2:8,16-17.

Os números mais relacionados com eventos importantes na Bíblia e que alguns estudiosos atribuíram algum significado são:
 3  = é o número da perfeição divina.
 6 = é o número do homem
 7 = é o número da perfeição espiritual.
 12 =  é o número da perfeição governamental.
 40 = é o número da provação

Os Paralelos na Bíblia

Podemos reconhecer na bíblia uma grande estrutura lógica com início e fim. Fazendo uma comparação com os dias atuais, é como um especialista em computação que organiza e escreve a estrutura de um programa de computador. Ele sabe como se dará o inicio o meio e o fim desse programa, bem como os detalhes de cada pedaço desse fluxo. O que nos deixa muito impressionado é que a bíblia foi escrita por várias pessoas no decorrer de aproximadamente 1500 anos, e que no final, tudo se encaixou perfeitamente. Esta é uma das principais razões pela qual cremos que Deus inspirou homens para escrevê-la, mesmo sem que eles percebessem que tudo fazia parte de uma grande estrutura (Rm 15:4; 2 Tm 3:16; 2 Pe 1:20-21).

Entre Gênesis e Apocalipse, podemos ver a seguinte correspondência notável:

GÊNESIS
APOCALIPSE
Criação dos céus e da terra (Gn 1:1)
Destruição dos céus e da terra (Ap 20:11b). Criação de novo céu e nova terra (Ap 21:1).
Satanás inicia seu reinado na terra (Gn 3:1-7)
Satanás é lançado no lago de fogo (Ap 20:10)
O pecado entra no mundo (Gn 3:1-7)
O pecado é banido (Ap 21:27)
A criação é amaldiçoada (Gn 3:17-19)
A maldição é removida (Ap 22:3)
O homem perde o acesso à árvore da vida (Gn 3:24b)
O acesso à árvore da vida é restaurado (Ap 22:2,19)
O homem é expulso do jardim do Éden (Gn 3:24a)
O homem é recebido de volta ao Paraíso (Ap 22:1-7)
A morte entra no mundo (Gn 2:17; 3:6)
A morte é removida para sempre (Ap 21:4)
As bodas do primeiro Adão (Gn 2:22; 4:1)
As bodas do último Adão (Ap 19:7)
A tristeza entra no mundo (Gn 3:16)
A tristeza é eliminada (Ap 21:4)

Capitulo 1

Texto: Apocalipse 1:1-3

1.   Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer. Ele enviou o seu anjo para torná-la conhecida ao seu servo João
2.   que dá testemunho de tudo o que viu, isto é, a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo.
3.   Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam o que nela está escrito, porque o tempo está próximo.

v.1 => Em várias ocasiões Deus se utilizou do ministério dos anjos para trazer revelações aos homens. Em ocasiões especiais o próprio Senhor Jesus trouxe a revelação. Como foi com o apóstolo Paulo, que teve uma visão extraordinária do Senhor que o comissionou para ser o Apóstolo dos gentios (At 26:17-18). Porém, a Bíblia nos alerta que nem toda mensagem é uma revelação de Deus, mesmo que seja trazida por um anjo ou por qualquer espírito que se identifique como um personagem bíblico. Um desses alertas foi dado pelo apóstolo Paulo em Gálatas 1:8-9 e também em 2 Corintios 11:1-15. Muitas religiões e seitas nasceram devido à desobediência a esse alerta.

No decorrer da história humana ocorreram diversas aparições de anjos e de espíritos trazendo outros evangelhos ou deturpações do evangelho de Cristo. Infelizmente esses desavisados ou desobedientes acabaram sendo ludibriados e arrastaram vários para as suas doutrinas. O alerta da bíblia é bem claro: qualquer mensagem que negue ou ultrapasse os princípios do Evangelho de Jesus Cristo não é uma mensagem válida. O problema é que nem todos os cristãos têm o conhecimento e a real convicção do que seja a essência do Evangelho. Isso já estava acontecendo com a igreja de Corinto e o apóstolo Paulo ficou indignado com o comportamento dos irmãos (2 Co 11:1-15). O apóstolo Pedro também alertou que os falsos profetas iriam aparecer para negar que Cristo nos resgatou dos pecados (2 Pe 2:1-3). Também na carta de Judas, o meio-irmão do Senhor, diz para os crentes batalharem “pela fé que de uma vez por todas foi confiada aos santos” (Jd 3), ou seja, tudo o que o cristão necessita como princípio regulador da fé já tinha sido dado e registrado. Nada era para ser acrescentado.

v.2 => João testifica do que viu e afirma que é a Palavra de Deus e o testemunho de Jesus. Isso nos lembra do trecho que está em uma de suas cartas (Leia: 1 João 1:1-4). Nesse trecho da carta observamos que João afirma que “Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo” e complementa afirmando que isso foi dito para que nossa alegria fosse completa. Então, a pergunta que se faz é: por que apareceram acréscimos logo após a morte dos apóstolos, como por exemplo, o culto a Maria? Segundo os pesquisadores, João foi o último apóstolo a morrer, e isso ocorreu próximo do final do primeiro século. Quando João escreveu suas cartas, já havia se passado vários anos da morte de Jesus e de sua mãe. Segundo a tradição católica, Maria morreu por volta do ano 41 d.C.  Portanto, não encontramos nenhum respaldo bíblico que sustenta a doutrina Mariana conforme o Catolicismo afirma. Nenhuma carta do Novo Testamento registra saudação a Maria tampouco alguns outros dogmas católicos. Essas e muitas outras doutrinas foram acrescentadas após a morte dos apóstolos por alguns de seus discípulos e, no decorrer dos séculos, declaradas como essenciais.

v.3 => Por mais que o livro de Apocalipse revele situações tristes e até mesmo apavorantes para o planeta, inclusive para os fiéis em Cristo, não é isso que o livro deseja para os crentes. Pelo contrário, é afirmado que serão felizes aqueles que leem e os que ouvem as palavras dessa profecia. Milhares de pessoas evitam saber os detalhes sobre o que vai acontecer no futuro. Deus nos ama e nos deixou a Bíblia para que nós tivéssemos uma consolação. As escrituras nos ajudam a entender as coisas, os mistérios, e também ser útil para levar muitas pessoas ao arrependimento e a fé no Evangelho. Conforme os acontecimentos vão se confirmando, muitas pessoas vão dando crédito à bíblia e se convertendo. De certo modo, isso também nos alegra, pois confirma que estamos andando no caminho certo. Ao mesmo tempo serve de alerta para aqueles que estão em dúvida. Isso tudo faz parte do plano de Deus. De maneira semelhante, os descrentes continuarão a praticar o mal e rejeitarão as Palavras de Deus.