Pesquisar este blog

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Estudos em Apocalipse - Aula 11

Apocalipse 2:12-17


12 “Ao anjo da igreja em Pérgamo escreva:“Estas são as palavras daquele que tem a espada afiada de dois gumes.
13 Sei onde você vive — onde está o trono de Satanás. Contudo, você permanece fiel ao meu nome e não renunciou à sua fé em mim, nem mesmo quando Antipas, minha fiel testemunha, foi morto nessa cidade, onde Satanás habita.
14 “No entanto, tenho contra você algumas coisas: você tem aí pessoas que se apegam aos ensinos de Balaão, que ensinou Balaque a armar ciladas contra os israelitas, induzindo-os a comer alimentos sacrificados a ídolos e a praticar imoralidade sexual.
15 De igual modo você tem também os que se apegam aos ensinos dos nicolaítas.
16 Portanto, arrependa-se! Se não, virei em breve até você e lutarei contra eles com a espada da minha boca.
17 “Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido. Também lhe darei uma pedra branca com um novo nome nela inscrito, conhecido apenas por aquele que o recebe.

A cidade de Pérgamo (atual Bergama, na Turquia), foi uma importante cidade da antiga Grécia, onde se localizava uma das mais importantes bibliotecas do mundo antigo e um dos maiores centros da cultura grega. Acredita-se que em Pérgamo foi inventado o Pergaminho (material mais resistente feito de pele de animal), que substituiu o Papiro (material feito de uma planta), onde se escrevia os documentos, especialmente as Escrituras.

Jesus é aquele que tem a espada afiada de dois gumes. Novamente encontramos um dos atributos do Senhor Jesus que foram estudados na aula sete (Ap 1:16). A Palavra de Jesus é como uma espada afiada que penetra profundamente e age com precisão (Hebreus 4:12; Efésios 6:17). É de dois gumes porque ela agirá de um lado para julgar e condenar os que não se arrependeram (Jo 12:48; Ap 2:16; Ap 19:15), e por outro lado, fará a defesa dos santos (Isaias 33:22; Mateus 25:34).

Jesus afirma que nessa cidade está o trono de Satanás. Nessa cidade foram erguidos vários templos idólatras. Os imperadores eram considerados deuses, e estes, por sua vez, adoravam deuses da mitologia grega como: Zeus, Ártemis, Cronos, Afrodite, Poseidon etc. Todas aquelas doutrinas eram contra Cristo e o Evangelho. A religião gnóstica era forte nessa época. Os apóstolos batalharam contra essa doutrina em várias de suas cartas, como podemos constatar nas cartas aos Colossenses, 1º  e 2º Timóteo, 2º Pedro, 1º e 2º João e Judas.

Jesus se refere a Antipas, um servo fiel, que foi morto pelos inimigos do Evangelho. Não se tem documentação suficiente sobre a identidade desse homem de Deus. Sabe-se pelo texto que ele foi uma fiel testemunha. Supomos que ele foi um grande líder e que morreu de forma trágica. Existe uma história, que não se sabe se é verdadeira, que um bispo chamado Antipas, foi colocado dentro de um boi de bronze que foi aquecido até ficar incandescente.

A igreja de Pérgamo é elogiada por se manter fiel mesmo depois da perseguição e angústia com a morte de Antipas. Mas, Jesus faz um alerta dizendo que existem pessoas dentro dessa igreja que são corruptas. Elas seguem a doutrina de Balaão e dos Nicolaítas. A doutrina de Balaão refere-se à história do Velho Testamento. Os israelitas, ao chegarem perto da terra prometida, acamparam-se nas campinas de Moabe, e os moabitas e midianitas ficaram amedrontados. O Rei Balaque chamou Balaão para amaldiçoar o povo, mas Deus frustrou todas as suas tentativas de falar contra os israelitas. Balaão desistiu de suas maldições, mas procurou outra maneira de vencer o povo de Israel. Deu o conselho de convidá-los a participarem de uma festa idólatra. Na festa, muitos israelitas se envolveram na idolatria e na imoralidade, e Deus mandou uma praga que matou 24.000 israelitas (Números cap. 22 a 25; 31:16).

O alerta foi feito por Jesus para que os membros da igreja de Pérgamo arrependessem dos seus pecados, senão seriam castigados pela espada (palavra) que sai de sua boca. Esse alerta também serve para os nossos dias. Precisamos ficar atentos contra certas práticas que vão se infiltrando em nossas igrejas semelhantes às que estamos estudando agora. Observe que Jesus está falando contra a idolatria, a corrupção e a imoralidade. Muitas igrejas modernas já incorporaram essas práticas em seu seio e por serem tolerantes com esses pecados, atraem muitos membros. O ídolo pode ser o dinheiro, a fama, um líder religioso ou objetos e imagens. A corrupção pode ser a maneira mais rápida de se adquirir posições de autoridade. A imoralidade sexual está sendo tolerada em nome de um amor livre e sem barreiras, com o argumento de que o mais importante é amar, mesmo que seja contra a natureza criada por Deus (Rm 1:18-32).

A carta termina com a promessa de que os vencedores receberão do maná escondido. Isso faz referência ao próprio Senhor Jesus, que afirma que Ele é o maná que desceu do Céu. Quem for até Ele nunca terá fome e quem Nele crê nunca terá sede (Jo 6:30-35,41-59).

A pedrinha branca pode incluir vários significados: a) pedras brancas foram usadas para indicar a inocência de pessoas acusadas de crimes; b) pedras brancas foram dadas a escravos libertados para mostrar sua cidadania; c) foram usadas pelos romanos como um tipo de ingresso para alguns eventos; d) também foram dadas aos vencedores de corridas e aos vitoriosos em batalha. Todos esses significados podem ser aplicados aos vencedores em Cristo Jesus.

Deus atribuiu outros nomes para algumas pessoas que foram abençoadas por Ele: Abrão-Abraão; Sarai-Sara; Jacó-Israel e Simão-Pedro. Isso simboliza uma nova vida e direção. O detalhe aqui é que somente aquele que recebe a pedra branca é que saberá esse novo nome.