Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Estudos em Apocalipse - Aula 17



Apocalipse 5:1-14

1.      Então vi na mão direita daquele que está assentado no trono um livro em forma de rolo escrito de ambos os lados e selado com sete selos.

2.      Vi um anjo poderoso, proclamando em alta voz: "Quem é digno de romper os selos e de abrir o livro? "

3.      Mas não havia ninguém, nem no céu nem na terra nem debaixo da terra, que podia abrir o livro, ou sequer olhar para ele.

4.      Eu chorava muito, porque não se encontrou ninguém que fosse digno de abrir o livro e de olhar para ele.

5.      Então um dos anciãos me disse: "Não chore! Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos".

6.      Então vi um Cordeiro, que parecia ter estado morto, de pé, no centro do trono, cercado pelos quatro seres viventes e pelos anciãos. Ele tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.

7.      Ele se aproximou e recebeu o livro da mão direita daquele que estava assentado no trono.

8.      Ao recebê-lo, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro. Cada um deles tinha uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos;

9.      e eles cantavam um cântico novo: "Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, língua, povo e nação.

10.  Tu os constituíste reino e sacerdotes para o nosso Deus, e eles reinarão sobre a terra".

11.  Então olhei e ouvi a voz de muitos anjos, milhares de milhares e milhões de milhões. Eles rodeavam o trono, bem como os seres viventes e os anciãos,

12.  e cantavam em alta voz: "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor! "

13.  Depois ouvi todas as criaturas existentes no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, e tudo o que neles há, que diziam: "Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o poder, para todo o sempre! "

14.  Os quatro seres viventes disseram: "Amém", e os anciãos prostraram-se e o adoraram.


Joâo vê um livro selado com sete selos na mão direita de Deus (aquele que está sentado no trono) (v1). Isso significa que Deus está no controle de todas as coisas. É Deus que está no comando. Não há outro. Muitas pessoas se desesperam por não creem que Deus está no seu trono reinando sobre tudo e todos. Não há criatura que não esteja sob o controle de Deus, inclusive Satanás e os demônios.

Isso é algo difícil de entender, e tanto crentes como descrentes questionam se Deus está realmente no comando, visto que há tanta injustiça e maldade nesse mundo. Mas, como estamos vendo no estudo de Apocalipse, Deus está realmente no comando de tudo, e tem todo o poder. Tanto é assim, que o próprio livro de Apocalipse é uma prova de que Deus sabe o que vai acontecer, inclusive como será o final. Em Isaías 46:10 diz: “Desde o início faço conhecido o fim, desde tempos remotos, o que ainda virá. Digo: Meu propósito ficará de pé, e farei tudo o que me agrada”. É uma garantia para nós, os salvos, que o bem vencerá o mal.
O que nos confunde é a conciliação do livre-arbítrio das pessoas com as pré-determinações de Deus. A Bíblia diz: “O Senhor dos Exércitos jurou: "Certamente, como planejei, assim acontecerá, e, como pensei, assim será” (Isaías 14:24). A explicação mais simples é que Deus usa o próprio livre-arbítrio do homem, com suas decisões reais e consequências, transformando o mal em bem, e dessa forma, assegurando os seus planos divinos. O exemplo mais claro disso nas Escrituras é a vida de José, filho de Jacó e Raquel, que passou por diversas dificuldades, e Deus, na sua sabedoria e graça, converteu todo aquele mal em um bem maior (Gn 37-50).

Um anjo forte pergunta se alguém é capaz de desatar os selos e abrir o livro (v.2). O livro com os sete selos, como veremos nos próximos capítulos, representam uma sequência de acontecimentos ruins previstos para acontecer. Segue-se uma busca tríplice (no céu, na terra e debaixo da terra) para ver quem é digno de abrir os selos. A busca é frustrada. Ninguém é digno de desatar os selos. Então João chora por causa disso (v.4). Às vezes, choramos como João com medo do futuro. O que vem pela frente? Como será o meu amanhã, a minha velhice? A voz ecoa no céu: Não chores! O Senhor põe um basta à nossa angústia. Ele traz a solução. Não chores. O digno procurado é agora o digno encontrado. Há alguém capaz de dirigir a história e dar sentido à vida.

Um dos anciãos diz a João que, na verdade, existe alguém digno de fazer isso. Esta pessoa aparece: Jesus Cristo. Ele é chamado de Leão da tribo de Judá. Ele é chamado de o Cordeiro. Ele é único que venceu para abrir o livro e romper os sete selos. Nenhum outro é capaz de fazer isso. Nem arcanjos, nem anjos, nem profetas, nem sua mãe, nem seus apóstolos, nem líder religioso algum.

A Bíblia diz que Jesus adquiriu para Deus, por meio do seu sangue, homens de toda tribo, língua, povo e nação. E deu o direito para todo cristão de reinar sobre a terra. Já reinamos com Cristo espiritualmente, pois estamos assentados com ele nos lugares celestiais e reinaremos com ele plenamente na sua segunda vinda (Ef 2:6). Fomos constituídos sacerdotes (Ap 1:6;5:10;20:6) - Agora temos livre acesso à presença do Pai, por intermédio de Jesus.

O Cordeiro pegou o livro da mão de Deus. Logo em seguida, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostram-se diante do Cordeiro, segurando harpas e taças de ouro cheias das orações do povo de Deus. Isso mostra que as orações têm valor. Elas estão colocadas em taças de ouro. As orações são representadas como incenso, que exalam um cheiro agradável para Deus (Ap 8:3-4).

Começa então um louvor a Deus e ao Cordeiro por sua maravilhosa obra de redenção. Toda a criatura no céu, na terra e debaixo da terra entoa louvores. Tanto os anjos eleitos no céu quanto os pecadores redimidos que estão no céu.

A igreja na terra não tem o que temer, não importando "de quantos juízos esteja repleto o rolo" da história humana.

Estudos em Apocalipse - Aula 16



Apocalipse 4:1-11

1 Depois dessas coisas olhei, e diante de mim estava uma porta aberta no céu. A voz que eu tinha ouvido no princípio, falando comigo como trombeta, disse: “Suba para cá, e lhe mostrarei o que deve acontecer depois dessas coisas”.
2 Imediatamente me vi tomado pelo Espírito, e diante de mim estava um trono no céu e nele estava assentado alguém.
3 Aquele que estava assentado era de aspecto semelhante a jaspe e sardônio. Um arco-íris, parecendo uma esmeralda, circundava o trono,
4 ao redor do qual estavam outros vinte e quatro tronos, e assentados neles havia vinte e quatro anciãos. Eles estavam vestidos de branco e na cabeça tinham coroas de ouro.
5 Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante dele estavam acesas sete lâmpadas de fogo, que são os sete espíritos de Deus.
6 E diante do trono havia algo parecido com um mar de vidro, claro como cristal. No centro, ao redor do trono, havia quatro seres viventes cobertos de olhos, tanto na frente como atrás.
7 O primeiro ser parecia um leão, o segundo parecia um boi, o terceiro tinha rosto como de homem, o quarto parecia uma águia em voo.
8 Cada um deles tinha seis asas e era cheio de olhos, tanto ao redor como por baixo das asas. Dia e noite repetem sem cessar: “Santo, santo, santo é o Senhor, o Deus todo-poderoso, que era, que é e que há de vir”.
9 Toda vez que os seres viventes dão glória, honra e graças àquele que está assentado no trono e que vive para todo o sempre,
10 os vinte e quatro anciãos se prostram diante daquele que está assentado no trono e adoram aquele que vive para todo o sempre. Eles lançam as suas coroas diante do trono, e dizem:
11 “Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas”.

A partir do capítulo quatro a visão de João toma outra dimensão. Sai do cenário na terra e passa para o cenário no céu. Anteriormente ele recebera instruções para as igrejas da Ásia, com mensagens específicas para cada uma delas. Agora, ele recebe a ordem de subir, pois foi aberta uma porta no céu para que ele veja o que acontecerá depois daquelas primeiras revelações (v.1).

O próprio texto indica uma interpretação futurística das coisas, ao contrário da ideia de alguns comentaristas que afirmam que o livro de apocalipse já se cumpriu. Entendemos que o livro de Apocalipse é a revelação de Deus à igreja, desde aquele ponto da história até o final, com o estabelecimento definitivo do Reino de Deus sobre a terra e a vitória do bem sobre o mal. Grande parte dos comentaristas (futuristas) entendem que a maior parte do livro acontecerá somente no final da história desse mundo, ou seja, quando Cristo estiver prestes a voltar à terra. Outros interpretam o livro como um resumo de toda a história da igreja no decorrer dos séculos (historicistas).

João é arrebatado é vê o trono de Deus (v.2). Ele vê alguém sentado sobre o trono, mas não consegue descrever a pessoa com detalhes, então, ele começa a comparar a forma com pedras preciosas: jarpe e sardônio (ou sárdio) (v.3). Essas pedras coloridas lembram a vestimenta sacerdotal com que os Israelitas foram instruídos a construir para os descendentes de Arão (Êxodo 28). Elas lembram o brilho, a pureza e beleza de Deus. João tenta descrever aquele que está sobre o trono, mas é impossível expressar tanta glória e beleza. O máximo que o apóstolo pode fazer é tentar comparar a glória de Deus com as coisas mais belas que ele conhece.

João também vê um arco-íris ao redor do trono semelhante a uma esmeralda (v.3). O arco lembra a aliança de Deus com os homens (Gn 9). Deus prometeu a Noé que não destruiria mais os seres vivos por um dilúvio. Esse arco pode ser uma referência à nova aliança de Cristo com sua igreja. Em Cristo, temos paz com Deus.

Vinte e quatro tronos ao redor do trono principal são vistos por João. Nesses tronos estão anciãos vestidos de vestes brancas e coroas de ouro sobre as cabeças. No Antigo Testamento os sacerdotes se revezavam em 24 turnos. É mais provável que os vinte e quatro tronos vistos por João representem o povo de Deus de todas as épocas, tanto os remidos da antiga quanto da nova aliança, ou seja, doze se referindo aos doze patriarcas do antigo testamento e os outros doze referindo-se aos doze apóstolos do novo testamento. Jesus prometeu que os apóstolos julgariam as doze tribos de Israel (Mt 19:28; Lc 22:30). Paulo disse que os crentes julgariam o mundo e os anjos (1 Co 6:2-3). O sentar-se sobre tronos da ideia de autoridade e poder para julgar. O trono principal é de Deus, que tudo vê, administra e delega poder e autoridade. Jesus nos fez reis e sacerdotes para Deus Pai (Ap 1:6; 5:10) e reinaremos com Ele.

No verso cinco João vê relâmpagos, vozes e trovões saindo do trono (v.5). Isso indica o poder de Deus. De semelhante modo Deus se manifestou ao povo de Israel no monte Sinai antes de dar a Lei do Antigo Testamento (Ex 19). As sete lâmpadas de fogo representam o Espírito Santo na sua multiforme atuação e plenitude.

Diante do trono aparece algo como um mar de vidro (v.6). O mar normalmente representa multidões, povos e nações no livro de apocalipse. Nesse caso deve representar a totalidade dos crentes. O mar é claro como o cristal. Indica pureza e transparência.

Em seguida é visto quatro seres viventes cheios de olhos (v.6 e 7). Há várias tentativas de interpretação para esses quatro seres. Alguns comentaristas interpretam como sendo a representação dos quatro evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João). Outros interpretam como sendo os mesmos Querubins que protegem o trono de Deus conforme relatado no livro de Ezequiel nos capítulos 1 e 10. Em Isaías 6 aparecem os Serafins, também em volta do trono fazendo as honras ao Rei Eterno. Outros interpretam como sendo a natureza perfeita de todas as criaturas da terra, representada pelo leão, boi, homem e águia.

Esses seres ficam louvando e glorificando a Deus constantemente (v.8). Sempre que eles entoam ações de graças e honras a Deus, os anciãos também apresentam suas coroas e o louvam. O apóstolo Paulo nos explica, em sua carta Efésios, que todos os salvos, foram preparados para louvor da glória de Deus (Ef 1:6,12,14). O esplendor de Deus, sua majestade, e seu poder, duram eternamente. Somos eternamente gratos, pois Ele nos resgatou e nos fez assentar nas regiões celestes em Cristo. O prazer do cristão é louvar a Deus.

Deus está em seu trono. O Trono de Deus está no centro do Universo. Ele comanda toda a história. Um mundo está em suas mãos e nada acontece por acaso. O livro de apocalipse é a prova de que Deus sabe o fim desde o princípio.  Todo o louvor e glória são dirigidos àquele que está assentado no Trono. Amém.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Estudos em Apocalipse - Aula 15



Apocalipse 3:14-22

14 “Ao anjo da igreja em Laodicéia escreva:“Estas são as palavras do Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o soberano da criação de Deus.
15 Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente!
16 Assim, porque você é morno, não é frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.
17 Você diz: ‘Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada’. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu.
18 Dou-lhe este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar.
19 “Repreendo e disciplino aqueles que eu amo. Por isso, seja diligente e arrependa-se.
20 Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele  comigo.
21 “Ao vencedor darei o direito de sentar-se comigo em meu trono, assim como eu também venci e sentei-me com meu Pai em seu trono.
22 Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas”.

Esta é a última carta destinada às sete igrejas da Ásia e possui uma característica diferente das outras. Essa igreja não recebe nenhum elogio de Jesus.

Essa cidade carecia de água potável e precisava ser suprida por meio de aquedutos (canal subterrâneo para conduzir água de um lugar para outro) vindos de duas cidades vizinhas, Hierápolis e Colossos. Em Colossos ficavam as fontes de águas frias e em Hierápolis havia fonte de água quente. Tanto as águas quentes de Hierápolis, como as águas frias de Colossos eram terapêuticas, mas a mistura dessas águas as tornava péssimas para o consumo e causavam enjoos.

Jesus se apresenta como “o Amém”. Palavra hebraica que quer dizer "é assim" ou "assim seja". Também pode ser traduzida por "certamente", "de fato", "com certeza". É usada como um título para Cristo, que é a garantia de que Deus cumprirá as promessas que fez ao seu povo.

Jesus também diz que ele é a testemunha fiel e verdadeira. Ele é a verdade e a vida – a testemunha fiel de Deus Pai (João 14:6). Quem não tem o Filho também não tem o Pai (1 João 2:23). Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou (João 5:23). Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida (1 João 5:12).

Jesus é o princípio da criação de Deus. Na tradução NVI diz: “o soberano da criação de Deus”. Esse trecho é muitas vezes usado para defender a tese de que Jesus é a primeira criatura de Deus. Esta interpretação está incorreta. O sentido do texto aqui, em concordância com os demais trechos das Escrituras, afirma que Jesus é Criador e não criatura (João 1:3;10; Colossenses 1:16). Jesus é o EU SOU, ou seja, o Eterno Filho de Deus, que sempre existiu (João 8:24;58).

Jesus novamente diz que conhece as obras da igreja. Ele sabe tudo que se passa nas igrejas. Ele preferiria que a igreja fosse “fria” ou “quente”, ou seja, fosse íntegra, sem falsidade, sem mistura. Água fria, de qualidade, com pureza, é uma bênção. Água quente, de qualidade, com pureza, também é uma bênção. Porém, uma água morna, misturada, provoca náuseas. Jesus não está querendo dizer que prefere um crente “frio”, como muitos interpretam. Também não devemos interpretar que “frio” é o crente que não pula, grita, bate palmas etc. Observe que o texto diz: “melhor seria que você fosse frio ou quente”. Em algumas traduções usam a expressão “quem dera” ou “gostaria”. Essa igreja estava vivendo como um sal insípido, ou seja, sem valor, sem qualidade, que não serve pra nada (Mt 5:13). A vida espiritual da igreja era morna, indefinível, apática, indiferente e nauseante. A igreja era acomodada. O problema da igreja não era heresia, mas apatia. É viver de aparências. É hipocrisia. Jesus detesta isso. Ele chama a igreja ao arrependimento.

A igreja orgulhava-se de sua riqueza e prosperidade quando dizia: “não preciso de nada”. Ou seja, ela se considerava autossuficiente. Jesus disse que a boca fala o que o coração está cheio. O orgulho é um pecado terrível. Derrubou até anjos! Foi por causa do orgulho que Satanás perdeu seu lugar no céu. Ele se achou autossuficiente e desejou o trono de Deus. O orgulho faz o indivíduo ficar cego. Já não consegue ver que está infeliz, miserável, cego, pobre e nu.

Jesus dá alguns conselhos àquela igreja. Recomenda que ela troque a falsa riqueza pela verdadeira riqueza, que é espiritual, como um ouro refinado pelo fogo (v.18). Que vista roupas brancas para cobrir a nudez e a vergonha. Isso significa que ela estava causando escândalos e não estava percebendo. Colírio para enxergar o que estava fazendo de ruim. Também precisava enxergar que o Senhor Jesus estava do lado de fora da igreja, e não do lado de dentro.

A igreja também estava surda, visto que não estava escutando as batidas de Jesus à porta (v.20). Não havia comunhão com o Senhor, pois Ele estava esperando alguém abrir a porta e convidá-lo para entrar. Muitos não convidam Jesus para participar das coisas simples da vida. Comer junto significa intimidade, comunhão, respeito e honra. Jesus está dentro ou fora de sua casa, ou da sua vida? Jesus está dentro ou fora de sua igreja? Estar numa igreja não significa estar com Jesus. Você tem medo de convidar Jesus para entrar? É interessante notar, para não dizer lamentável, mas Jesus está falando para uma igreja e não para descrentes. Muitos pregam esse texto para descrentes, mas Jesus está falando para aqueles que se dizem crentes.

Quem ama disciplina. Jesus repete aquilo que está descrito em várias passagens das Escrituras. Deus nos ama, e quando é necessário, ele nos disciplina para não sermos condenados com o mundo (Pv 3:11-12; 1 Co 11:32; Hb 12).

Ao vencedor é prometido o direito de sentar-se com Cristo para reinar por toda a eternidade (v.21). Entretanto, é necessário primeiro que Jesus tenha o direito de sentar-se com você no seu lar, na sua vida, para depois você poder sentar com Ele na Jerusalém celestial.