Pesquisar este blog

terça-feira, 7 de maio de 2013

Estudos em Apocalipse - Aula 22

Texto para leitura: Apocalipse capítulo 10


João vê outro anjo poderoso descendo do céu envolto numa nuvem (v.1-2). Esse anjo aparece com algumas características que levam muitos intérpretes a identificá-lo com o Senhor Jesus: arco-íris sobre a cabeça, o rosto brilhante como o sol, pernas como colunas de fogo, em sua mão direita há um livrinho e sua voz como um rugido de leão (v.2-3). Outros, porém, entendem que pode ser um arcanjo (anjo-chefe) como Gabriel ou Miguel. (Há divergências de opiniões entre as religiões a respeito dos arcanjos. Alguns entendem que só existe o arcanjo Miguel. Na Igreja Católica Romana os arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael são venerados. Os arcanjos cujos nomes são mencionados na literatura do Islã são: Gabriel, Miguel, Rafael e Azrael. Outras tradições identificam um grupo de Sete Arcanjos, cujos nomes variam, dependendo da fonte).

Há semelhanças estreitas entre esse anjo e o próprio Cristo. Contudo, no Apocalipse, anjos são sempre anjos; Cristo nunca é chamado de anjo. Esse anjo não recebe adoração. O Apocalipse nunca confunde o Senhor que está assentado no trono com os seus emissários que descem à terra. Devido a essas semelhanças de atributos divinos é que algumas denominações como os Adventistas e as Testemunhas de Jeová interpretam o arcanjo Miguel como sendo o próprio Senhor Jesus. A diferença entre eles é que, para os Adventistas, Jesus é Deus (a segunda pessoa da trindade). Já para as Testemunhas de Jeová, Jesus é a primeira criatura feita por Jeová, ou seja, o príncipe dos anjos.

Em seguida, esse anjo forte coloca seus pés sobre o mar e a terra (v.2). Ele dá um alto brado como um leão (v.3). Nesse momento, surgem sete trovões que emitem suas vozes (v.4). João tenta escrever, mas é impedido por uma voz vinda do céu (v.4). A voz de Deus é geralmente comparada com trovões (SI 29; Jo 12:28-29). O que será que os trovões disseram? Deus não quis que soubéssemos. São os mistérios de Deus. Existem muitas coisas que são ocultas propositalmente. A Bíblia é a Palavra de Deus, mas não é TODA a Palavra de Deus. Deus não está limitado pela Bíblia. Na Bíblia estão registradas as coisas que podemos e precisamos saber. Em Deuteronômio 29.29 está escrito: “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, o nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei”. Nem mesmo os anjos e demônios sabem. Deus tem suas estratégias e propósitos, que serão executados no momento oportuno. Isso também é uma forma de proteção para a igreja. Satanás e seus anjos não podem saber de tudo. Essa revelação, semelhante àquela que Paulo teve no céu, não pode ser anunciada (2 Co 12:4). João a entendeu, mas não recebeu autorização para escrevê-la. Não devemos especular o que Deus não nos revelou.

O anjo levanta sua mão direita para o céu e jura que não haverá mais demora. Por que Deus parece demorar? Deus tem adiado o seu julgamento para que os pecadores perdidos tenham tempo para se arrependerem (2 Pe 3:3-9). Esse foi o propósito da sexta trombeta (Ap 9:20-21). Mas, agora, Deus irá acelerar o seu julgamento e realizar seus propósitos. Em Apocalipse 6:10-11 os santos martirizados estavam questionando a demora de Deus (Ap 6:10-11). Os próprios ímpios escarnecerão de Deus e da sua Palavra em virtude da demora de Deus em seu julgamento (2 Pe 3:4). Mas agora não haverá mais prazo, mais tempo, mais demora para o arrependimento e a conversão. O juízo está chegando. No confronto de Deus com os seus inimigos, a vitória de Deus será esmagadora. A história avança para o inevitável triunfo de Deus, e ainda que pareça que o mal está florescendo, não é possível que no fim ele triunfe. Essa palavra "Não haverá mais demora" significa também que a paciência de Deus tem limite. O soar das seis trombetas representa todas as oportunidades que Deus dá ao homem para que se arrependa. Mas, aqui o caso é diferente. O homem chegou num ponto tal de insensibilidade e endurecimento que não há mais possibilidade de arrependimento. É aí que o anjo jura que não haverá mais demora para a sétima trombeta.

No toque da última trombeta irá se cumprir o mistério de Deus anunciado por todos os servos e profetas (v.7). O que os servos de Deus estão sempre a anunciar? A vinda do Senhor para reinar completamente com a sua igreja – a noiva. O apóstolo Paulo explica em sua carta aos Efésios que Jesus e sua igreja eram o mistério que estava oculto aos profetas antigos (Efésios cap.3), mas que foi revelado aos santos da Nova Aliança. Por incrível que pareça, Jesus e a Igreja ainda são um mistério para a maioria das pessoas, inclusive os ateus e religiosos.

João é convidado a pegar o livrinho que está na mão do anjo (v.8). Esse livrinho é para ser comido pelo apóstolo (v.9). Porém, ao comê-lo, João sentirá a doçura do mel em sua boca, mas um amargo em seu estômago. O que significa esse livrinho? A Palavra de Deus é comparada a comida. Ela é como pão (Mt 4:4), leite (1 Pe 2:2), carne (1 Co 3:1-2) e mel (SI 119:103). Jeremias e Ezequiel receberam a ordem de comer a Palavra antes de pregá-la aos outros (Jr 15:16; Ez 2:9-3:4). A Palavra precisa fazer-se carne (Jo 1:14), antes que possamos dá-la àqueles que dela necessitam. Ai do pregador e do professor que ensina a Palavra sem encarná-la em sua própria vida.

A Palavra de Deus é doce como o mel - Não existe nada mais doce no mundo do que o evangelho de Cristo. Mas, logo que alguém se torna um cristão começam os problemas. Vêm o sofrimento, a perseguição (os sete selos). Quem quiser viver piedosamente em Cristo será perseguido (2 Tm 3:12). Não dê ouvidos àqueles que dizem que os problemas acabam quando você é convertido. A doçura não acaba, mas ela é seguida de amargura. A conversão desemboca em perseguição do mundo. O evangelho é doce quando o experimentamos, mas amargo quando vemos as implicações dele na vida daqueles que o rejeitam. Jesus chorou por Jerusalém. Davi chorava. Jeremias também. Paulo igualmente.

O verso 11 revela que o trabalho da igreja continua. Este evangelho precisa ser pregado ao mundo inteiro com rapidez porque o juízo já se aproxima e não tardará. A tarefa é urgente, porque o juízo se aproxima.